Casa Eduardo Franco Correia

“Morar para mim é estar bem localizado, com acessos à serviços, lazer e principalmente calçadas e bons transportes públicos”  – Arquiteto Eduardo Franco Correia.

Quando pergunto para o Eduardo qual o seu lugar preferido na casa, ele responde rindo que prefere todos. O apartamento de 70m² foi reformado há um ano atrás pelo EFCARQUITETURA – escritório que Eduardo comanda tanto em São Paulo como em Taquaritinga – cidade do interior paulista. Nessa reforma foram retiradas portas da cozinha e área de serviço, deixando um ambiente único com funções setorizadas já pela disposição original da planta. E, para quem gosta de morar bem localizado, nada melhor que morar no coração da Avenida Paulista. Eduardo mora simplesmente no Paulicéia, um dos projetos arquitetônicos mais bonitos e especiais da arquitetura moderna brasileira, realizado pelos arquitetos Jacques Pilon e Gian Carlo Gasperini.

Quando a porta se abre, uma decoração simples e harmoniosa nos dá boas vindas, acompanhada de uma vista maravilhosa para Avenida Paulista. Mesa de jacarandá garimpada da Ben Hur Antiquario.

Fachada do Paulicéia.

Na reforma, o arquiteto deixou o concreto original do apartamento aparente. O quadro escuro de autor desconhecido foi garimpado. Na parede branca, um raro desenho do artista Alfredo Volpi – herança do seu tio, o também arquiteto – Guilherme Franco (1955-1997).

Verde da planta – a moderna costela de adão desenha na parede de concreto.

Olha a sala de jantar com vista para a Paulista. A onça foi comprada em Belém do Pará, na Estação das Docas.

A simplicidade faz o charme dos barquinhos sobre a mesa/banco no centro do living.

Eduardo fica emocionado quando me conta que esse Bandeirinhas de Alfredo Volpi também herdou do tio Guilherme Franco e o vermelho é um óleo que ganhou da Tomie Ohtake.

Lindo esse lugar, esse visual com essa foto do João Wainer foi comprada na Galeria Almavera.

Retrato de Eduardo no corredor que vai dar na gostosíssima e iluminada cozinha muita disputada nos encontros com os amigos.

Capricho e despojamento no jeito de receber do dono da casa.

O Paulicéia é um dos exemplos mais representativos da arquitetura moderna brasileira. Foi construído nos anos 50 pelos arquitetos Jacques Pilon e Gian Carlo Gasperini.

Porta de correr no quarto – para leitura ou simplesmente desvendar a Paulista. Chaise longue do arquiteto suíço Charles-Edouard Jeanneret-Gris, mais conhecido como Le Corbusier.

Confortável cabeceira de tecido e, as obras de arte, completam a parede do quarto.

Eduardo de olho na Paulista – fizemos essas fotos no feriado de 15 de novembro. Paulista lotada, animada e com muita música boa.

Paulista vista pelo sétimo andar do Paulicéia.

Por que a casa do Eduardo é Casa dos Outros? Porque respeita e valoriza a arquitetura original do prédio, e é linda!

 

English

“To live for me is to be well located, with access to services, leisure and mainly sidewalks and good public transportation” – Architect Eduardo Franco Correia.

When I ask Eduardo what his favorite place in the house is, he replies laughing that he prefers everyone. The 70m² apartment was reformed a year ago by EFCARQUITETURA – an office that Eduardo commands both in São Paulo and in Taquaritinga – a city in the interior of São Paulo. In this reform were removed kitchen doors and service area, leaving a unique environment with functions already sectorized by the original layout of the plant. And, for those who like to live well located, nothing better than living in the heart of Avenida Paulista. Eduardo lives simply in the Paulicéia, one of the most beautiful and special architectural projects of the Brazilian modern architecture, realized by the architects Jacques Pilon and Gian Carlo Gasperini.

– When the door opens, a simple and harmonious decoration welcomes us, accompanied by a wonderful view of Paulista avenue. Ben Hur jacquard table Antiquario.

– Frontage of the Paulicéia.

– In reform the architect left the original concrete of the apartment apparent. The dark picture of unknown author was panicked. On the white wall, a rare drawing by the artist Alfredo Volpi – inheritance of his uncle, the also architect – Guilherme Franco (1955-1997).

– Plant green – the modern Costela de Adão rib draws on the concrete wall.

– Look at the dining room overlooking the Paulista. The jaguar was bought in Belém do Pará, at the Estação das Docas.

– The simplicity makes the boats charm on the table / bench in the center of the living room.

– Eduardo is thrilled when he tells me that this Bandeirinhas by Alfredo Volpi also inherited from his uncle Guilherme Franco and red is an oil that he won from Tomie Ohtake.

– Beautiful this place, this look with this photo of João Wainer was bought in the Galeria Almavera.

– Portrait of Eduardo in the corridor that will give in the very luscious and illuminated kichen much disputed in the meetings with his friends.

– Caprice and dispossession in the way of receiving from the owner of the house.

– Paulicéia is one of the most representative examples of modern brazilian architecture. It was built in the 50s by architects Jacques Pilon and Gian Carlo Gasperini.

– Sliding door in the bedroom – for reading or simply unveiling the Paulista. Chaise longue by Swiss architect Charles-Edouard Jeanneret-Gris, better known as Le Corbusier.

– Comfortable headboard and fabric, artwork completes the bedroom wall.

– Eduardo with an eye on Paulista – we made these photos during the holiday of november 15. Paulista crowded, lively and with lots of good music.

– Paulista seen on the seventh floor of Paulicéia.

Why is Eduardo’s house Casa dos Outros? Because it respects and values ​​the original architecture of the building, and it’s beautiful!

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz